Pesquisar este blog

domingo, 24 de março de 2013

É ser infinito


Foi de frente comigo mesmo que num dia,
não me lembro se nublado ou ensolarado,
eu me perguntei o que é amar.

Não soube responder de imediato.

Fui questionado pela segunda vez,
não por mim,
mas por essa inspiração que movimenta essa poesia,
não soube responder.

Mas hoje, depois de caminhar por entre sonhos e sentir as boas novas da noite,
você inspiração me pergunta novamente.
Delineio em resposta
as linhas desta poesia
que nem sempre sabem traduzir este sentimento,
minhas mãos nem sempre sabem quais curvas devo contornar
nestas sílabas.

Mas posso responder, finalmente,
que amar é sentir e ser infinito...

8 comentários:

  1. Li,esse poema e me lembrei de você,espero que goste :)

    Sorri quando a dor te torturar
    E a saudade atormentar
    Os teus dias tristonhos vazios

    Sorri quando tudo terminar
    Quando nada mais restar
    Do teu sonho encantador

    Sorri quando o sol perder a luz
    E sentires uma cruz
    Nos teus ombros cansados doridos

    Sorri vai mentindo a sua dor
    E ao notar que tu sorris
    Todo mundo irá supor
    Que és feliz

    Charles Chaplin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) Sentindo a poesia à sua maneira.

      Excluir
    2. Então sorri,
      abr teus braços
      e faça o teu mundo.

      Excluir
  2. Manoel,você tem e-mail?se tiver tem como me passar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, desculpe a demora. manoel.vinicius@gmail.com

      Excluir
  3. Oi Manoel,desculpa pela falta de privacidade,mais voce esta apaixonado ou gosta de poemas de amor?

    ResponderExcluir
  4. A-do-re-iiii conhecer o blogue! Brinca com as palavras com leveza, generosidade e ternura! Rosi

    ResponderExcluir

Marque sua impressão na estante...