Pesquisar este blog

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Sexta

Brinco de fazer poesia
numa noite de sexta
silenciosa e fria.
Resolvi hoje conversar
com meus versos brancos
e com meu coração.
O vento impiedoso assola
o mundo lá fora
e a meia luz do quarto,
comovente com a canção da ventania,
me embriago de você.
Não há para onde eu
possa ir senão explorar
a minha fantasia de saudade...
Em doces lembranças
percebo em instantes
nossas travessuras a dois,
logo sinto o sabor de
nosso amor.
Ei de saborear a noite toda
até que minhas mãos viciadas
de poesias e inspiração
te encontrem novamente.

Manoel Vinícius Souza
28/09/2012

Porquê te amo sou louco

Segures minhas mãos
para me dar direção...
Se pareço forte e lúcido
quase sempre
me perco em devaneios
e meu coração chora.
O amor nos enlouqueceu
e caímos ao chão
sem realidade.
Então perguntas se estou bem
com meu coração agora
já tão seu.
Nós unimos nossos olhos
e lábios,
você sabe a resposta.,
eu te amo.
Transcendemos a distância física
e brincamos de telepatia
confundindo a realidade
de nossas mentes
e passamos a sorrir.
Já não separo a consciência
do meu coração,
não sei o que é separar
e bombeio o teu sangue
neste jovem músculo.
Chamem-nos de loucos
em noites de amor eterno
misturando heresias e divindades.
Se fundimos nossas
vãs filosofias
seremos um só
cuidando de um jovem
amor
que brinca de ciranda,
é bobo e chora,
sempre está feliz.
Criança em devaneios e
aventuras segura
nossas mãos,
não estamos separados
mas com mentes em sintonia
com a mesma alma.
Se por te amar perco a lucidez
então assim serei
novo insano.

Manoel Vinícius Souza
22/09/2012

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Saga

Põe
som
palavra
poesia 
lava 
alma
suja
guerra
homem
silêncio
...
beija
ama
humano
...
História.



Manoel Vinícius Souza

Insônia contemporânea

Durante a madrugada
meu corpo, um peso
na cama.
Luzes piscam
ao meu lado e
projetam a sombra
do meu Eu gigante.
Penso na vida,
em presentes e futuros.
Preciso dormir.
Luzes piscam atrás de mim,
luzes,
luzes,
luzes,
luzes,
luzes,
luzes,
lu-zes,
...
...
..
.

Manoel Vinícius Souza